• Culpa (de Cristina Eiko) - Um livretinho de poucas páginas, formato A6 para a série Ugritos da Ugrapress. É o tipo de história começa fofa e termina... sendo juz ao título da história.
# Veredicto: leitura rápida, mas vale :)
# Bom: a edição é caprichadinha, tanto fisicamente (papel bom, plastico envolvendo a edição), quanto na arte e roteiro.
# Mau: é rápido. Quando você começou já terminou.
20 páginas • R$ 7 • 2017 • revista no site da editora

American Flagg! (de Howard Chaykin) - Nos anos 80, mais que hoje, os quadrinhos gringos eram dominados pelas duas "majors" (Marvel e DC). Mas, mesmo nessa que foi uma das épocas mais áureas das duas editoras, haviam artistas e editoras independentes que conseguiram lugar ao sol, com fãs fiéis e elogios da crítica e... que por motivo ou outro ($$) nunca acabei lendo mas sempre tive curiosidade de conferir o material.
Óbvio, senão eu não escreveria o parágrafo acima, que American Flagg! era uma desses casos: publicada originalmente em 1983 nos EUA (a série durou 50 edições), e umas poucas tentativas no Brasil entre os anos 80 e 90, se passa num daqueles futuros que quase estão virando passado: em 2031, após uma grande econômica, os Estados Unidos são uma sombra do que eram (e o governo se mudou para Marte), a União Soviética está em frangalhos por causa de insurreições islâmicas, o Brasil é uma superpotência etc, o ator Reuben Flagg perde o emprego na televisão (ele é substituído por um holograma dele mesmo, bem mais em conta :P) e se torna policial no Plexmall de Chicago (Plexmall seriam tipo gigantescos shopping centers onde a população vive nessa época), etc etc.
O mundo de AF é bem construído, com suas peculiaridades e o roteirista/desenhista vai nos apresentando aos poucos o que é aquele mundo e o que está por detrás dele, só que... desculpem, não gostei. A arte do Chaykin é acima da média, algumas páginas tem composições lindas, mas os personagens raramente são desenvolvidos para me importar com eles ("hã, personagem X voltou? Mas ele apareceu antes mesmo? Não me lembro...") e algumas subtramas são confusas, talvez por eu ter perdido o interesse na história lá atrás, talvez por ter lido numa sentada só uma história feita para se ler aos poucos, em 12 partes mensais.
# Veredicto: se você gosta de clichês de FC dos anos 80 (eles não são ruins), personagens sem pudores de falar palavrão, muita ação, personagens sexy que não tem medo da censura (apesar de não ter nada explícito), American Flagg! é pra você :) Só aviso que esse é o primeiro arco do personagem e muita coisa fica em aberto.
# Bom: worldbuilding e Raul, o gato falante e hacker =p
# Mau: personagens sem carisma, e a arte de Howard Chaykin é foda, mas meio "dura" às vezes (fora a mania dele repetir visual de personagem em cada gibi que faz....)
392 páginas • R$ 99,90 • 2015 • revista no site da editora

Nimona (de Noelle Stevenson) - Lorde Ballister Coração-Negro é um vilão, e cet dia uma garota chamada Nimona bate em sua porta para ser sua assistente contra Sir Ouropelvis e a Instituição. Ele reluta no início, mas ao ver que ela é uma metamorfa, a aceita e assim a história começa.
O enredo não entrega muito no começo, e também não é lá muito complexo, mas tem várias subversões, tem cenas de ação (o traço simples da autora não ajuda aí, mas quem se importa, é justamente a estilização escolhida que dá o clima da história), tem cenas de dia a dia, de personagens se importando com os outros, ou simplesmente não querendo falar de coisas que os incomodam, e - é claro - reviravoltas :)
# Veredicto: uma das melhores leituras que tive no semestre passado (não que eu tenha lido tanto assim)
# Bom: a simplicidade de roteiro/arte/personagens, mas assim mesmo distorcendo de leve os clichês. Outra coisa digna de nota é o "mundo" da história, mas simples, com complexidade potencial e talvez melhor apresentado que o de American Flagg!
# Mau: nada me irritou especificamente, mas o adjetivo "simplicidade" é uma faca de dois gumes: alguns personagens podiam ser desenvolvidos melhor, algumas cenas podiam ser melhor compostas, algumas estruturas narrativas batidérrimas podiam ter sido trocadas por algo diferente.
276 páginas • R$ 49,90 • 2016 • revista no site da editora


ìndice de resenhas e movimentações da minha estante:

2017 está cheio de pontos negativos, e não ter atualizado essa seção é um deles. Faz tempo que não atualizo o E/S que quando eu fiz da última vez eu era praticamente outra pessoa :P

Mas vamos que vamos, a meta é manter uma frequência aqui e depois dobrar a meta, como diria minha saudosa ex.

Últimas Leituras:
O Baronato de Shoah – A Máquina do Mundo, José Roberto Vieira - mundo legal, dá um puta cenário de RPG. Mas não curti a história e personagens, o que é uma pena :| O Zero é um cara legal e eu sou uma pessoa bem chata nos meu gostos - tanto que as pessoas não gostam do que eu gosto, geralmente. Portanto....
Lugar Nenhum, Neil Gaiman - gostei. Personagens e mundo interessantes, mas dá para sentir no livro o "peso" de ter sido escrito originalmente como roteiro para uma mini-série para a televisão.
A Fonte Âmbar, Ana Lúcia Merege - demorei tanto pra atualizar aqui que até já fiz resenha desse livro (junto com os outros dois volumes da série)
Os Feiticeiros da Luz, Greice Martinelli - outro livro nacional de gente boníssima que não curti tanto - mas por causa da demografia: bruxos, ok, profecias e inimigos foda, ok, romances, flertes e cenas calientes, ñããããããõ, não faz meu paladar :P (P.S.: to devendo mandar meus comentários pra autora...)

Últimas Compras & Leituras:
(demorei tanto que tem livro que chegou e já foi consumido :P)
Terra de Histórias - Além dos Reinos, Chris Colfer - definitivamente foi o livro mais fraco da série até agora. Vilão sem carisma, personagens desperdiçados, uma cena ou outra legal. Talvez o livro esteja amaldiçoado por ter vindo de uma livraria que fechou :|
Em busca de WondLa; Um herói para WondLA; A Batalha por WondLa, Tony DiTerlizzi - confesso que comprei a série por causa do autor, um excelente desenhista de animais fantásticos (os jogadores de Advanced Dungeons and Dragons devem conhece-lo do velho Manual dos Monstros), e me surpreendi positivamente: a história é morna em alguns pontos, mas os personagens são cativantes e o mundo de Orbona é um dos lugares mais fantásticos que já li.
Assim se formou a Bíblia, Diego Arenhoevel - eu tenho vários fracos, um deles é formação do texto bíblico. Livro bastante didático sobre a formação do Antigo Testamento, escrito lá pelos anos 70 (comprei num sebo, inclusive). A primeira vez que eu o li, explodiu minha cabeça =)




Últimas Algumas das Últimas Compras:
O Lado Sombrio dos Contos de Fada, Karin Hueck - outro fraco meu são contos de fada. Vamos ver se vale =]
A História de Kullervo, Tolkien - depois da última compra, decidi caçar os livros que faltam da bibliografia do autor dO Senhor dos Anéis. Depois disso, só vai faltar ler :P
A Bela e a Adormecida, Neil Gaiman e Chris Riddell - Gaiman, contos de fada, diversidade. Não tem como dar errado, assim espero :PP
A História de Sua Vida e outros contos, Ted Chiang - cara, A CHEGADA É O FILME MAIS FODA DE 2016. Simples assim, tanto desde que vi virou parâmetro para outros filmes, por exemplo: "olha, O Último Jedi é legal, não um A Chegada, mas diverte". E nesse livro tem diversos contos do autor, inclusive o que inspirou a película.
O Médico e o Monstro; A Ilha do Tesouro, R. L. Stevenson - daquela lista de "clássicos que já deveria ter lido faz tempo" (na verdade já li o Médico e o Monstro, não gostei na época). Mas nem sabia que ambos os livros eram do mesmo autor :P


ìndice de resenhas e movimentações da minha estante:

(um ano pra atualizar meu site de carrinhos, que feio, joaninha!!)

Pixação e cartazes na Paulista com Consolação que disseram muito:






06mai17 - vagabundo é quem não lutⒶ! / amar e mudar as coisa :{ / fora temer / ano passado eu morri mas esse ano eu não morro :{ / diretas já / fora Temer volta Belchior :{

Ela estava aí antes da greve de 28 de abril (e da morte do cantor Belchior :/) e refuta o "quem faz greve é vagabundo" que você sempre ouve de quem é mais beneficiado pelas greves =_=

Deixa eu repetir o básico aqui: greve é praticamente o único recurso que trabalhadores tem contra abusos de seus patrões. Tem distorções e pessoas que se aproveitam? Tem e sempre terá, mas qual é a alternativa? Fazer nada e deixar acontecer? Se não existir pressão contra, o lado mais forte perde as inibições e monta em cima - como estamos vendo, por sinal.

O que ando vendo muito, e faz tempo, é a mesquinharia crescer: gente ganhando 100 reclamando porque a pessoa que fez a mesma coisa que ele ganha 105, ou pessoas que ganham 10000 indignadas com quem tem nada ganhar 100 de auxílio, mas ninguém estranhando gente com malas com milhões em dinheiro. Muito do "ruim" que definiu 2017 para mim foi fruto dessa mesquinharia: presidentes subiram ao poder porque tem pouco (e acha que tem alguma coisa...) teve medo de quem tem quase nada e nessa fúria acabaram fazendo o jogo de quem tem demais.
E a ficha de muitos desses ainda não caiu.

Outra coisa que vejo é muito pensamento escravocrata disseminado entre quem trabalha: faça seu senhor feliz, vigie o outro escravo colega teu (em vez de criticar o patrão) e fique feliz quando o outro for castigado por tentar conseguir um pouco a mais de direitos - afinal, escravo não tem direitos.


Uma coisa que diria "inexplicável" mas é apenas uma estratégia equivocada das lideranças de esquerda: cadê outras greves? Elas não deviam ter acontecido antes? >=(((

Perto do metrô santa Cruz tem a rua Primeiro de Janeiro, que faz esquina com a rua Onze de Junho, são quase seis meses de tempo numa encruzilhada só :P Ali, certa vez, disse pra namorada: aposto que São Paulo tem uma rua para cada dia do ano....

E decidi que em 2018 vou por isso a prova, um mês por vez:


cliquem pra ver maiorzinho (as ruas são o trajeto que o google sugeriu para fazer o rolê em ordem)


...e de cara, minha teoria se provou furada:
Em Sampa, apenas 14 datas de janeiro batizam as ruas da cidade que vivo, inclusive seu aniversário (25 de janeiro) batiza duas ruas aqui, mas decidi colocar só mais central delas no mapa acima, fora as outras 4 em cidades vizinhas (Cotia, Diadema, Guarulhos e Osasco)

Por completismo, fiz a tabela abaixo incluindo as datas faltantes nas cidades mais próximas de São Paulo, dando preferência a localidades dentro do estado e da Região Sudeste, nessa ordem. Talvez eu tenha ignorado lugares mais próximos, mas fiz mais por diversão, sem me preocupar com a perfeição dos dados.

Rua Primeiro de Janeiro (Vila Clementino), São Paulo/SP - 04044-060
Rua Dois de Janeiro (Vila Salete ), São Paulo/SP - 03616-020
Rua Três de Janeiro (Vila Liviero ), São Paulo/SP - 04185-090
Rua Quatro de Janeiro (São José), Vitória/ES - 29031-813
Travessa Cinco de Janeiro (Jardim São Savério ), São Paulo/SP - 04194-345
Rua Seis de Janeiro (Jardim Colibri ), São Paulo/SP - 04855-610
Rua Sete de Janeiro (Jardim Santa Eudóxia), Campinas/SP - 13096-326
Rua Oito de Janeiro (Vila Domitila ), São Paulo/SP - 03626-010
Rua Nove de Janeiro (Canhema ), Diadema/SP - 09941-480
Rua Dez de Janeiro (Centro ), Cotia/SP - 06700-090
Rua Onze de Janeiro (Santa Isabel), São Gonçalo/RJ - 24737-346
Rua 12 de Janeiro (Setor Estrela Dalva), Goiânia/GO - 74475-288
Rua Treze de Janeiro (Americanópolis ), São Paulo/SP - 04336-080
Rua Quatorze de Janeiro (Jardim Veneza), Aparecida de Goiânia/GO - 74958-100
Avenida Quinze de Janeiro (Cidade Seródio ), Guarulhos/SP - 07150-030
Rua 16 de Janeiro (Coutos), Salvador/BA - 40750-110
Rua Dezessete de Janeiro (Aventureiro), Joinville/SC - 89225-886
Rua Dezoito de Janeiro (Jacaré), Rio de Janeiro/RJ - 20961-430
Avenida Dezenove de Janeiro (Vila Carrão ), São Paulo/SP - 03449-000
Praça Vinte de Janeiro (Vila Regente Feijó ), São Paulo/SP - 03335-060
Rua Vinte e Um de Janeiro (Santa Cruz), Salvador/BA - 41925-845
Rua Vinte e Dois de Janeiro (Parque São Rafael ), São Paulo/SP - 08320-140
Rua Vinte e Três de Janeiro (Vila Eliana Maria), Guaratinguetá/SP - 12511-410
Travessa Vinte e Quatro de Janeiro (Centro), Campos dos Goytacazes/RJ - 28027-510
Rua Vinte e Cinco de Janeiro (Luz ), São Paulo/SP - 01103-000
Rua Vinte e Cinco de Janeiro (Parque Primavera ), São Paulo/SP - 04467-290
Rua Vinte e Seis de Janeiro (Mirim), Praia Grande/SP - 11704-730
Rua Vinte e Sete de Janeiro (Novo Osasco ), Osasco/SP - 06045-000
Rua Vinte e Oito de Janeiro (Vila Bela Vista (Zona Norte) ), São Paulo/SP - 02617-090
Rua Vinte e Nove de Janeiro (Jardim Lourdes ), São Paulo/SP - 08452-431
Rua 30 de Janeiro (São Sebastião), União da Vitória/PR - 84604-750
Rua Trinta e Um de Janeiro (Americanópolis ), São Paulo/SP - 04336-090

Enfim, fica a dica pros políticos desocupados da paulicéia que gostam de batizar ruas =P~

Já faz um tempo que vi essa notícia lá no twitter:


...e invejei. Não que eu pretenda fazer cosplay de Arlequina, nem vi o filme (achei o trailler legal - graças ao Queen, certeza), mas porque o moleque quebrou uma regra que todo mundo já percebeu mas ninguém fala: "meninos são mais frescos que meninas".
Discorda?
Eu discordo de tua discordância: há anos que vejo mulheres, moças e meninas vestindo camisetas e acessórios super-heróis da Marvel, da DC, Star Wars e tudo o que elas quiserem, de todas as cores que ela quiserem, do preto ao rosa mais rosa.
Já no lado azul da Força.... "o time dos meninos" (e dos homens e rapazes e moços) não fazem muitos anos que comecei a vê-los usarem peças de roupa rosa - a terrível cor-símbolo. Eventualmente, graças a um fandom bem ativo, já vi uma ou outra camiseta de My Litle Pony por aqui (to devendo escrever sobre isso há anos, e é um assunto que tá cada vez mais no passado). O que é um avancinho, mas qualquer rapaz vestindo saias ainda vira notícia em portal e gera discussão por dias nas redes sociais.


roubando Laerte, porque ela foi certeira nessa

Assim, invejo o menino por ter dado um foda-se às regras toscas que os outros impõem e se vestiu de uma personagem que achou legal, assim como garotas volta e meia cosplayam personagens masculinos sem tanto trauma ou bully.
Afinal, são apenas personagens =)


Claro que Kai, o garoto, talvez seja uma menina trans (nascido garoto que se identifica como garota) com um pai foda que reconhece isso sem mais.... frescura :P Assim como parece ser o caso de Shiloh John, filhao de Angelina Jolie e Brad Pitt, que gosta de se apresentar "com roupas de menino" e que pelo jeito tem o apoio dos pais.
Esses exemplos são mais que saudáveis ou importantes, são foda. São de respeito às escolhas das crianças em questão, sem bullying, sem forçar a entrar em forminhas sociais. É mostrar aos outros (principalmente os adultos) a respeitar as escolhas dos outros, começando com quem vive com você e que você conhece praticamente desde que nasceu.

Mas espero mais que Kai não seja trans, que seja um garoto "como todos os outros", que um dia se vestiu da personagem que ele curte e mostrou que isso não é problema. O passo que ele deu é grande e arriscado contra o mar de bully que é a educação de que "menino não pode". As pessoas que estão do lado de fora da forminha "menino é menino e tem de gostar de meninas apenas, menina é menina e tem de gostar de meninos apenas" tem uma luta enorme contra preconceito e discriminação, mas os garotos precisam muito de exemplos "olha, ele fez isso e aconteceu nada com ele!!", crescer com uma neura a menos e termos menos homens preconceituosos com o amor e auto-identificação dos próximos e das próximas.

Em janeiro, eu e Lia pegamos um dia para andar pela cidade procurando os semáforos turísticos antes que eles sumam :P Aí demos um rolê pela região da Luz, que tem o da Pinacoteca e esse aqui, da estação da Luz, aka "estação Julio Prestes".


17jan17 - 14:20

(ainda não achei uma listagem oficial desses semáforos, se é que existiu, mas além dessa postagem em espanhol, encontrei esta descritiva, confirmando a existência de alguns lá na ponte "espraiada")


E da série "desenterrando posts do fotolog":



"2004: Estação da Luz - Ainda em reforma, é linda :) Pena que praticamente a região toda em torno ainda necessite de uma "limpeza".

Foto em dia de sol, passeio bom :)"


Lista do semáforos té agora registrados:
Theatro Municipal
Prédio do Banespa
Liberdade (luminárias)
Liberdade (arco)
Monumento às Bandeiras
Edifício Copan
MASP
São Bento

Pátio do Colégio
Pinacoteca

O post a seguir veio da minha última newsletter e achei melhor colocar aqui também:


Bom, enquanto Raquel está indo conhecer para sua futura universidade, está rodando por aí no mundo real uma proposta medonha de cobrar mensalidade nas universidades públicas. Pior é que esse governo federal tem uma proposta medonha atrás da outra num ritmo tão grande que já estamos ficando anestesiados e não ligamos mais, ainda mais com os meios de comunicação dizendo "amém".
Mas acho bom a gente sair da letargia e ir correr atrás do contrapontos ao que enfiam goela abaixo na gente e repassar para as pessoas.
"Ah, mas eu não faço universidade pública e nem conheço ninguém que faça", ok, sorte tua, mas não é porque você não vai perder direitos que não devia ser importar com isso. Outras pessoas vão perder direitos, muitas pessoas vão perder direitos, uma parcela enorme da sociedade vai perder direitos só com a cobrança de mensalidade, isso deveria incomodar qualquer um que se ache digno de dizer que é gente.

Fora que perda de direitos, assim como doenças terminais, vem sempre assim: pelas bordas, com sintomas que achamos bobos demais pra gente ir pro médico...

Enfim, deixa eu por links para não transformar aqui em textão, ficando a critério de cada um clicar nos links e ler (e, quiçá, repassar), ou não :P


1) O professor Cleber Haubrics, do IFRJ, explica sobre por que a universidade pública deve ser gratuita:

"Mais de 90% dos estudantes das Universidades Federais não poderiam pagar mensalidades caso a universidade deixasse de ser gratuita"


2) Quem apoia a cobrança de matrículas geralmente invoca um relatório do Banco Mundial, que não é exatamente a entidade mais isenta do mundo. Aqui tem um fio de tweets dando contraponto, com tabelas e links para mais estudos (pra quem gosta de ler mais que eu ainda)(como se fosse difícil isso....)
"Relevantes críticas ao recente relatório do banco mundial tem surgido desde a sua divulgação. Uma delas vem de dois economistas da UFBA, profundos conhecedores da realidade das universidades públicas"


3) Dona namorada, aquela maluca que me namora e ainda por cima encara doutorado (tá na reta final, a fase em que surtar se torna um modo de vida), colocou a opinião dela, baseada na convivência dela com o meio universitário. Cliquem aqui e vão lendo ^^
"Logo não teremos profissionais de qualidade formados no Brasil, eu acho. Vamos voltar pro século passado, em que os ricos mandavam seus filhos pra "Europa" pra estudar. Mas a gente quer massa de trabalho, não precisa ter boa formação, né?? Precisa saber fazer"

Qual a língua de nosso país, da minha cidade, do estado em que vivo?


12ago17 - estação Santa Cruz e também numa porrada de estações

Acho legal que tenham espaços com wifi grátis para os usuários, mas muito me incomoda uma empresa *pública* coloque uma plaquinha toda escrita em língua estrangeira sem necessidade disso. "Wifi" é uma palavra nova (mas ouvimos ela ser lida "vifi" na Bélgica, durmam com isso :P), mas "grátis" tá aí firme e forte desde o século XVI e todo mundo entende.

Língua é identidade cultural e imagino que deveria ser função de qualquer governo cuidar dela.



Por mim, inclusive, deviam cobrar imposto a mais de quem coloca promoções de XX% off e outros anglicismos sem noção. Se deixar, capaz desse povo começar a vender as coisas em pés e libras, vai vendo ;p


....falou a pessoa que tinha um site chamado "mushicomics"

(Harry Osgood)
Muito conhecido no mundo artístico, Harry Osgood é atualmente o empresário da super-heroína e cantora Cristal (veja Cristal). Criado por Tom De Falco em 1981, ele está quase sempre acompanhado por Lancelot Steele, seu convencido secretário, e é um dos poucos a saber que Cristal é dotada de poderes mutantes.


Índice: ABCDEFGSobre esse projeto

(Harry Osborn)
Órfão de mãe ainda bebê, Harry foi criado pelo pai, o industrial Norman Osborn que, por demais atarefado, nunca pode lhe dedicar o carinho e a atenção necessários a uma criança. Carente de afeto, o pequeno Osborn se tornou um rapaz inseguro e tímido, enquanto seu pai ficava cada vez mais rico. Movido pela ganância, Norman conseguiu uma forma de incriminar seu sócio e assumir total controle da indústria química da qual ambos eram proprietários. Vasculhando as anotações do ex-companheiro, ele encontrou fórmulas desconhecidas e decidiu testa-las. A combinação das substâncias provocou uma explosão que, afetando sua mente, aumentou ainda mais suas tendências criminosas. Com isso, Norman decidiu desenvolver um armamento especial e tornou-se o Duende Verde (veja Duende Verde), objetivando controlar todo o mundo do crime. Ao entrar na universidade, Harry conheceu Peter Parker, de quem se tornou grande amigo. Não sendo um bom aluno, o seu contato com o colega, considerado o gênio da faculdade, ao invés de lhe servir de estímulo, deixou-o ainda mais deprimido. Seu namoro com Mary Jane Watson foi desastroso. Por ser muito alegre e "louquinha", a jovem ofuscava ainda mais o pobre rapaz (veja Mary Jane). Com frustração atrás de frustração, não era de se estranhar que Harry enveredasse pelo mundo das drogas. Sua dependência de narcóticos foi aumentando a medida em que seu pai se tornava mais e mais insano. Quando Norman Osborn, em sua outra identidade, morreu durante um combate contra o Homem-Aranha, Harry, já totalmente enlouquecido, descobriu o segredo do pai e assumiu a identidade do Duende Verde. Não demorou muito e ele teve que enfrentar o Aranha, sendo facilmente vencido e internado em um hospital psiquiátrico. Durante seu tratamento mental, o rapaz contou a seu psiquiatra, o dr. Bart Hamilton, tudo sobre a carreira criminoso de Norman Osborn. Aproveitando-se da confiança de Harry, o corrupto médico se apoderou de tudo o equipamento do Duende e tornou-se o terceiro vilão a assumir essa identidade. Depois de uma breve carreira competindo com Cabelo de Prata (veja Cabelo de Prata) pelo comando do crime em Nova Iorque, Hamilton foi vencido pelo Homem-Aranha e pelo próprio Harry. Criado por Stan Lee em 1964, hoje o rapaz namora Liz Allen, antiga colega de escola de Peter Parker, e, ao que parece, está curado de sua enfermidade psíquica.


Índice: ABCDEFGSobre esse projeto

Minha mãe tem um DeviantArt, que eufiz para ela XD, e estou colocando os trabalhos dela por lá =)


Cliquem na imagem para verem maior. Se quiserem ver o detalhe, o link é aqui


Visitem: http://marissel.deviantart.com/

Ah, agora tem trabalhos dela no instagram também: @marissel_art!!

(Harold Meachum)
Harold Meachum foi o responsável pela morte de Wendell Rand, pai do menino que estava destinado a se tornar o campeão de artes marciais conhecido como Punho de Ferro (veja Punho de Ferro). Acompanhando Wendell, a mulher e o filho até as montanhas da Ásia, ele conseguiu assassinar seu sócio para assumir o controle total das organizações Rand & Meachum. Quase morrendo nas vastidões de neve, ele foi salvo por um nativo que lhe falou sobre um menino ocidental que havia sido encontrado pelos habitantes da cidade eterna de Kun Lun. Sabendo que o garoto só podia ser o filho de Wendell, ele retornou à civilização obcecado pela idéia de que um dia o rapaz voltaria para vingar seu pai. Isso de fato aconteceu. Porém ao invés de ser morto por Daniel, já transformado no Punho de Ferro, Harold foi assassinado pelo misterioso Ninja (veja Ninja. Criado por Roy Thomas em 1973, sua filha até hoje acredita que foi o Punho de Ferro que matou Meachum, e, revoltada, não mede esforços para destrui-lo.


Índice: ABCDEFGSobre esse projeto

(Happy Hogan)
Durante muito tempo, Happy foi chefe de segurança das Indústrias Stark e o melhor amigo do Homem de Ferro - um dos poucos que conhecem sua identidade secreta. Depois de ter sido gravemente ferido durante uma luta entre o Vingador Dourado e o Homem de Titânio (veja Homem de Titânio), Hogan foi submetido ao energizador de cobalto de Tony Stark, processo que o transformou no Monstro - uma criatura de incrível força e praticamente sem nenhuma inteligência. Foi só depois de muito esforço que o Homem de Ferro conseguiu trazê-lo de volta do normal. Nos anos que se seguiram, ele voltou a se transformar no ser grotesco, porém, sempre foi contido pelo herói da armadura dourada. Criado por Stan Lee em 1963, ele e Stark amavam a mesma mulher, a secretária Pepper, porém, com o passar do tempo, esta se apaixonou por Happy e ambos se casaram. Atualmente o casal não mora mais em Nova Iorque nem trabalha nas Indústrias Stark, mas continua sendo grande amigo do Homem de Ferro.


Índice: ABCDEFGSobre esse projeto

Parte 10½ porque são só algumas fotos tiradas enquanto eu enrolava esperando amigo perto da estação de trem de Kyoto. Não sei quanto a vocês, mas se a região parece segura e tenho tempo livre, acho necessário e legal dar um rolê exploratório as redondezas.

Afinal, se estou em viagem em outro país, outro continente, outra realidade, vou querer pegar o máximo de percepções possíveis, ね?


Por algum milagre, mesmo acordando cedo demais pros meus padrões consegui pegar o trem correto, no horário!, e chegar no destino planejado


estação correta, cidade correta - espero ao menos ter postado o vídeo correto aqui no blog

Bora ir pra fora, o dia estava bonito :)


02mai11 - lado de fora da estação de trem...


...e a torre de Kyoto domina a paisagem por ali.


foto random rua do lado direito da torre. Decidi seguir por aí :P


"viagens ao exterior e alimentação exótica"


(falando sério: comi McDonalds no Japão, mas em Tokyo, e acho que foi sanduíche mais oleoso da rede que já comi nos países que fui)(o mais sem graça foi em Santiago, no Chile, registre-se aqui)


Pena que eu não tirei tantas fotos quanto faço hoje em dia, provavelmente veria várias pequenas curiosidades nelas que não percebi no momento. De qualquer forma, depois de algum tempo andando, o rolê rendeu algo diferente:




"agora, a Vida vive você!" õ.o


Gastei um tempão agora pra achar o nome do templo: Higashi Honganji e parecia estar (des?)montando um evento lá naquela manhã^^
(sim, fui bicão e fui entrando e saindo onde vi que dava pra circular, sem medo de ser feliz)




lembrem-se: o terremoto tinha acontecido poucos meses atrás =/


mais cambitos de fora *-*




na região do templo: crianças atravessando a rua (notem o trânsito na mão inglesa...) e estação de trem ao fundo.

Melhor voltar pra estação, já estava na hora de encontrar meu amigo de internet :)


Acho que a maioria de vocês devem ter lido isso em algum canto: a língua japonesa tem três "alfabetos" que são usados ao mesmo tempo.
1) os kanji, que são alguns milhares, que a grosso modo se usam pra escrever substantivos e adjetivos. São origem chinesa e o pesadelo de qualquer estudante estrangeiro (e aposto que pros locais também).
2) existem os katanana, que é um silabário usado mais para escrever palavras estrangeiras. Depois falo mais deles.
3) e tem os hiragana, outro silabário, que é usado mais para escrever partículas gramaticais e "conjugações" dos verbos e adjetivos (sim, estou fazendo um resumo grosseiro, de novo).
Um texto em língua japonesa é sempre uma mistureba dos três alfabetos e, às vezes, até do nosso :P

Os hiragana surgiram em textos das mulheres da corte japonesa e são versões simplificadas de kanji. Das três formas de escrita nipônica, as acho as mais bonitinhas e fácil de decorar. Como é um silabário, (obviamente) cada "letra" é uma sílaba^^

a
i
u
e
o
 
ka
ki
ku
ke
ko
 
sa
shi
su
se
so
 
ta
chi
tsu
te
to
 
na
ni
nu
ne
no
 
ha
hi
fu
he
ho
 
ma
mi
mu
me
mo
 
ya
yu
yo
 
ra
ri
ru
re
ro
 
wa
wo
n

(essa tabela tá bonitinha, mas tá bem simplificada, ok? :P)(to aqui pra falar de viagem, não pra ensinar 日本語)


Europa 2012
antes de tudo (I)antes de tudo (II) e dali eu passei X)Finalmente em Berlim, mas... vamos falar do metrô? -_-'Berlin, AlexanderplatzIntervalinhocontroladamente perdido.até a Ilha dos Museus (e não entrar lá :P)Back in the DDREntre a ilha e o portão

Japão 2011
Antes: sRViajo ou não viajo pro Japão?Prova do crimePreparação de viagem0
29/04: 1230/04: 345Sobre namorar japonesas no Japão...
01/05: 66 tão esperando ainda?789de ponta cabeça.... mesmo? A verdade revelada!!
02/05: 1010½


Também viajei mas não falei muito ainda: Peru 2014Europa 2015Chile e Argentina 2017
Archives
January 2018December 2017November 2017October 2017September 2017August 2017July 2017June 2017May 2017April 2017March 2017February 2017January 2017December 2016November 2016October 2016September 2016August 2016July 2016June 2016May 2016April 2016March 2016February 2016January 2016December 2015November 2015October 2015September 2015August 2015July 2015June 2015May 2015April 2015March 2015February 2015January 2015December 2014November 2014October 2014September 2014August 2014July 2014June 2014May 2014April 2014March 2014February 2014January 2014December 2013November 2013October 2013September 2013August 2013July 2013June 2013May 2013April 2013March 2013February 2013January 2013December 2012November 2012October 2012September 2012August 2012July 2012June 2012May 2012April 2012March 2012February 2012January 2012December 2011November 2011October 2011September 2011August 2011July 2011June 2011May 2011April 2011March 2011February 2011January 2011December 2010November 2010October 2010September 2010August 2010July 2010June 2010May 2010April 2010March 2010February 2010January 2010December 2009November 2009October 2009September 2009August 2009July 2009June 2009May 2009April 2009March 2009February 2009January 2009December 2008November 2008October 2008September 2008August 2008July 2008June 2008May 2008April 2008March 2008February 2008January 2008December 2007November 2007October 2007September 2007August 2007July 2007June 2007May 2007April 2007March 2007February 2007January 2007December 2006November 2006October 2006September 2006August 2006July 2006June 2006May 2006April 2006March 2006February 2006January 2006December 2005November 2005October 2005September 2005August 2005July 2005June 2005May 2005April 2005March 2005February 2005January 2005December 2004November 2004October 2004September 2004August 2004July 2004June 2004May 2004April 2004March 2004February 2004January 2004December 2003November 2003October 2003September 2003August 2003July 2003June 2003May 2003April 2003March 2003February 2003January 2003December 2002November 2002October 2002September 2002August 2002July 2002June 2002May 2002April 2002March 2002February 2002January 2002December 2001November 2001October 2001September 2001August 2001